17 de maio de 2024

Nunca existiu um país chamado Palestina? E daí?

Declaração Balfour
Declaração Balfour – “O governo de Sua Majestade encara favoravelmente o estabelecimento, na Palestina, de um Lar Nacional para o Povo Judeu [..] entendendo-se claramente que nada será feito que possa atentar contra os direitos civis e religiosos das coletividades não-judaicas existentes na Palestina” 02/11/1917, Lord Balfour 1° Ministro Britânico.
Se “nunca existiu um país chamado Palestina”, vamos à um pouco de História.

Pois meias verdades só convencem incautos.

Temos lido e ouvido por aí pro-israelenses replicando a premissa no título. Partem do pressuposto que “sempre houve um Israel e que a Palestina é uma invenção romana”.

Para iniciar é bom definir o que é um país. Povos  tem territórios, nem todos territórios se podem chamar de país, que são estados nacionais organizados sobre diversas formas, basicamente território com população e um governo autônomo ou soberano. Em geral reconhecidos como tal por outros estados. Portanto nem todos territórios se transformaram em países nem geraram nacionalidades. Aliás o estado nacional é uma invenção relativamente recente considerando a história da humanidade. O conceito surge no século XVI, mas se consolida nos XVIII e XIX.

Primeiro vamos à questão do Israel antigo.

Israel SEMPRE existiu?
Os antigos reinos com esse nome passaram por duas fases, na última, em divisão com o reino de Judá, Israel foi extinto pelos Assírios em 722 antes de Cristo, aliás os assírios chamavam a região toda de Palastu…, lembra algo?. Pois bem, ficou o reino de Judá, no sul , também extinto a primeira vez dois séculos mais tarde em 586 a.C, quando Jerusalém caiu para a Babilônia e para lá o povo judeu foi levado.

Sete décadas depois, graças a Pérsia acabou o exílio, quando retornaram à antiga região da Judéia. Restaurado um Reino de Jeude, logo foi dominado e ocupado pelos greco-macedônicos, que chamavam a terra de Philístia, ou seja, terra dos filisteus, pois na costa, onde hoje é Tel-Aviv e Gaza habitava o chamado povo do mar, de origem cretense. Os nomes Palastu e Philístia deram a base para o posterior nome romano Palestina.

O que importa é que na sequência de se livrarem dos gregos, Jeúde voltou a ser Judá ou judéia e se tornou território dos romanos, com alguma autonomia, isso foi de 142 a.C até o ano 6 da era cristã, quando virou de vez uma Província Romana, simplesmente chamada judéia, foi nesse período que viveu e morreu Jesus.

Essa província romana chamada judeia, durou até o ano de 132, quando o Imperador romano Adriano acabou de vez com qualquer administração e presença judaica, matando meio milhão, destruindo o templo e expulsando o restante. Ah! e Impondo definitivamente o nome de Palestina para a terra. Ou seja, pensar ou dizer “Israel sempre existiu” é historicamente falacioso, e não se trata apenas de questão de nome.

Agora falando de Palestina no mapa

Para deixar claro, quando Adriano pos fim à judéia e confirmou a Palestina, o nome já era usado há séculos inclusive por outros povos. Israel já não existia a 7 séculos, em cima disso se coloque mais 19 séculos.

Nesse meio tempo Palestina teve outras ocupações estrangeiras e organizações políticas e foi província de outros impérios, como o Império Turco-Otomano que acabou em 1922, depois território sob mandato britânico até 1948. Aliás, tanto judeus quanto árabes da Palestina chegaram a outros pontos do mundo sob passaporte turco-otomano ou britânico-palestino e por aqui no Brasil em uma convivência pacífica se tratavam por “primos”.

Portanto, o que não existia em nenhum mapa dos últimos 2600 ou 2500 anos, era um lugar chamado Israel, ele foi inventado e inserido na marra nos mapas da terra Palestina em 1948. E daí?, se a Palestina não chegou a ser um país na acepção moderna da palavra e assim nomeado, apesar de outras partes daquela terra terem sido. importa é que é um território com população, cultura e pelo mesmo nome conhecido há milênios.

Tente encontrar Israel nesse mapa da região de 1829, não tem, mas Palestina está lá com todas a letras… .

Mapa palestina 1829

Sobre a existência multimilenar da Palestina problema resolvido. Difícil mesmo é convencer gente que confunde israelita, uma pertença étnica de origem remota, com israelense, uma nacionalidade sionista que tem apenas 75 anos e um histórico nada pacífista.

 

 

Sobre o autor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *