20 de julho de 2024
Colagem sobre matérias

Hoje partiu a grande Glória Maria, e todo o país com justa razão se comove com a perda dessa grande e icônica profissional do jornalismo brasileiro. Eu mesmo, entrando na casa dos 60, cresci e vivi acompanhando Glória Maria na TV. Não há o que discutir sobre sua competência, profissionalismo e carisma, muito embora entrando no campo de sua participação na questão negra, haja polêmica, controvérsias mas não unanimidade…

Protagonismos e pioneirismo, podem ser absolutos ou relativos. E esse é ponto que mesmo parecendo deselegante e inoportuno, precisa ser tocado, pois ao simplesmente não questionar e “comprar” uma narrativa única que se está recorrentemente fazendo, acaba-se por reforçar uma injustiça e apagamento histórico.

Que a raridade que constituiu por muito tempo Glória Maria enquanto mulher negra em uma posição de visibilidade privilegiada na mais importante emissora de TV do país é um fato, não se discute, tampouco o quanto de protagonismo alcançou.

Porém isso não pode seguir obliterando alguém que em alguns pontos chegou na frente e abriu caminho assim como Glória Maria, para outras e outros jornalistas e apresentador@s negr@s.

E nesse momento em que tantos repetem ser o pioneirismo de Glória Maria absoluto, é importante aproveitar a visibilidade midiática para fazer justiça historica e lembrar que na verdade esse “posto” ao menos em aspectos pertence a Anna Davies, também na Globo.

Glória Maria estreou na telinha em reportagem em novembro de 1971 na Globo, seria então a primeira repórter negra. No entanto Anna Davies, estreava pouco depois, na Globo Minas em 1972, porém de repórter passou rapidamente a apresentadora do Jornal Hoje local. Seria portanto a primeira apresentadora jornalística negra. Ainda em 1972 Anna Davies foi para a Globo Rio, atuando inicialmente como repórter assim como a jovem repórter Glória Maria, porém não demorou para Anna Davies, ganhar a bancada do Jornal Hoje Nacional, já era a primeira âncora negra brasileira e repetiu a façanha em rede nacional. Enquanto Glória seguiu como repórter, só alcançando bancada, muito tempo depois. Para além disso Anna também foi a pioneira em outras emissoras.

Compreensível que a maioria desconheça o fato, afinal a personalidade e presença de Glória Maria sempre chamaram atenção, ainda mais em um “deserto” de representatividade negra, que só recentemente ganhou alguma população maior.

Chato ter que colocar isso em momento de luto, mas historiadores tem também essa função de lembrar e “corrigir”  🤷🏿‍♂️

Quanto a Glória Maria, que em paz descanse e obrigado por tudo. Valeu !

Sobre o autor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *