11 de abril de 2024

Hoje acordei, aliás antes mesmo de acordar refletia, perguntando à mim mesmo sobre a mais correta forma de me expressar sobre uma das minhas múltiplas identidades.

É certo que apesar de não ser jornalista, faço parte e sou reconhecido no meio jornalístico, inclusive para um pouco além do local. Primeiro como fonte notória e recorrente, depois como produtor de conteúdo, já que nas últimas duas décadas opero minhas próprias “mídias”, o blog pessoal e outros temáticos com domínios próprios, o que de certa forma dá uma “semi-profissionalizada” na minha persona de “escrevinhador digital” .

Para além disso, levo textos meus ( seriam crônicas ?) para publicação periódica flexível na Agência Amazônia Real de jornalismo independente, como colaborador voluntário, bom, ao menos enquanto me aturam por lá… .

Na inquietação peguei o smartphone e acionei a máquina de busca. Eis que recebo a seguinte resposta:

Não resolveu muito…, sim tenho coluna em veículo jornalístico, mas jornalista não sou. Meus escritos são críticos, OK, mas seriam crônicas ? Busco novamente e o sinonimos.com.br me traz:

3 sinônimos de cronista para 2 sentidos da palavra cronista:

1 crítico.

A palavra cronista aparece também nas seguintes entradas:

analistaautorescritorcolunista

Opa! Melhorou. Sou de fato e direito historiador, além disso escritor, autor crítico e também analista (de sistemas) mas também de contextos e conjunturas históricas, sociais, tecnológicas e cotidianas. Tá tudo embolado, então sou cronista e também sou colunista pois tenho coluna.

Adiante. Bloguista sou inequívocamente, no português BR blogueiro, já que possuo e escrevo meus blogs. Porém resta dúvida, seriam blogs um tipo de imprensa ou jornalismo ???

De volta à máquina de busca, no entanto não achei respostas diretas mas sim um profusão de veículos de imprensa usando ambos os termos chamando a área de escrita assinada de “Colunas & Blogs” sem mostrar clara distinção.

Para “engrossar o caldo” hoje há os  blogueiros independentes que ganharam versões em vídeo, inclusive eu mesmo, e em tese deveriam ser chamados “vloggers” ( no entanto o termo não “colou” por aqui…), influenciadores, youtubers ou “produtores de conteúdo digital”  foram as denominações que vingaram.

Então vou ficar com a velha reflexão de 2013 de Celso Politi “Qual a diferença entre coluna e blog? Eu diria que a coluna, pelo histórico arraigado ao impresso, tem menor flexibilidade de tamanho e periodicidade. O blog, mais a cara da web, tem posts a qualquer momento, de qualquer tamanho. Além disso, colunas não necessariamente estão abertas a comentários dos leitores, uma marca registrada dos blogs. No mais, coluna e blog têm o mesmo desafio de opinar, informar, ilustrar, ganhar respeito e audiência.”

A conclusão parece não deixar dúvidas que além da incorporação do “blogging” pelos jornais e jornalismo, não necessariamente exercido no espaço e sob controle desses, não há clara distinção de qualidade e nível de profissionalismo, muito embora a diferença de notícia e crônica e jornalistas e cronistas sejam explícitas nos manuais de redação.

Ficamos assim, ao fim e ao cabo, mais ou menos, todos #juntosemisturados 🤷🏿‍♂️

Sobre o autor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *