12 de agosto de 2022

E SEGUE O PRECONCEITO E VILANIZAÇÃO CONTRA A EaD

Impressionante, a UNISINOS (Universidade privada jesuita) anunciou o encerramento de N Programas de Pós-graduação, em um tempo de claro ataque generalizado à educação e em especial às universidades públicas e à pesquisa e pela dificuldade em recursos para custeio e bolsas. Não custou a pulular gente culpando a EaD por isso… pura falácia:

1- Apesar de possível em lei há muito tempo, universidades públicas e particulares brasileiras praticamente não tem programas stricto sensu na modalidade a distância, não há “competição” entre modalidades no caso.

2- O real problema não tem nada a ver com “qualidade” ou “liberalismo” mas sim com CUSTOS e ACESSO… enquanto profissionais, instituições e PPGs seguem “torcendo o nariz” para o EaD e com isso mantendo elevadíssimo o custeio e impraticável para os estudantes conseguir se manter “apenas estudando” em tempo íntegral amparados em bolsas públicas (cada vez mais raras e minguadas), a graduação vê as matrículas explodirem com a possibilidade do alto uso do EaD, não apenas muito mais barato, mas ACESSÍVEL e SUSTENTÁVEL para os estudantes.

Novamente volto ao ponto que bato e não de hoje, toda essa resistência e “desculpa esfarrapada” de “qualidade e ‘olho no olho’ “, não é nada mais que elitismo, defesa de mercado e supervalorização profissional (com uma pitada de incompetência tecnológica e necessidade de aglomeração social) afinal quanto mais difícil o acesso ao estudo e menor a concorrência no mercado… .

O que não querem enxergar é que o modelo excludente que é o plenamente presencial não vai mesmo conseguir se manter como padrão e hegemônico por muito tempo, não por no fundo “superioridade ou qualidade” mas por ser tecnológica, econômica e socialmente cada dia mais anacrônico… . Ou entendem e se adaptam ou serão como via lei da evolução, extintos por inadaptabilidade… 🤷🏿‍♂️

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.