20 de maio de 2022

CURIOSIDADE HISTÓRICA: Guerras mundiais começaram com tretas em países da Europa oriental…

Tivemos duas grandes guerras mundiais, dai a premissa do título é por enquanto validada históricamente em 100%. No entanto, já que o universo de pesquisa é pequeno (2) caberia um “benefício da dúvida” quanto a isso ?  Vejamos.

A primeira grande guerra começou com o assassinato dos mandatários do antigo império austro-húngaro, considerado “ocidental” mas com partes na Europa oriental, o fato ocorreu na Bósnia, perpetrado por um sérvio. Países pouco conhecidos por aqui, uns diriam “balcânicos ou centrais”, mas sempre associados à ideia de “leste/oriental” e cujos nomes remetem sempre à uma ideia de guerra, tipo guerra da Bósnia, ou da antiga Ioguslávia…. Nesse contexto começou um conflito que envolveu praticamente o mundo inteiro, inclusive o Brasil… .

Já a segunda grande guerra, tecnicamente começou com a invasão pela Alemanha da Polônia (mais um país do leste europeu…) que também fez parte do antigo império austro-húngaro… . Uma das “justificativas” nazistas usadas para a anexação era a ideia de  “lebensraum” que pretendia uma “pátria ariana” (com a Áustria, Prussia oriental e parte da Polônia, que estava no meio do caminho com a Prússia oriental, o famoso “corredor polonês” e também os Sudetos,  já tinham sido “Alemanha”, mas perdido na I guerra, e tinha uma grande população de origem alemã ) . Obviamente a ideia era também explorar povos eslavos (olha o leste europeu aí de novo), no entanto a sanha hitlerista acabou se expandindo para além, causando mais uma guerra mundial.

Agora…. se você teve um “click” e está pensando “caramba, o conflito da Ucrânia é no leste europeu, será que… ???”, parabéns pelo rápido e arguto raciocínio… Novamente a Europa está em um conflito em que europeus ocidentais (com a participação da grande sucursal americana) estão prestes a causar uma guerra global por conta de uma “treta” no leste europeu… .

“Ah! mas agora é diferente, quem está atacando apesar de países distintos também é oriental, e é uma ‘covardia’ com gente que apenas quer ser ‘européia integrada’, além do fato que quem ‘agride’ é uma superpotência historicamente não alinhada com o ocidente…” uns diriam.

“BINGO !”, sim, APARENTEMENTE sim, mas o que está por trás disso é basicamente o mesmo que motivou as duas primeiras grandes guerras, o ocidente reivindicando o “direito imperial” ao oriente, e usando esses “pequenos” países centrais e do leste europeu para a sua “disputa de força” com “o outro”, leia-se “não-ocidentais” (isso sem falar nos históricos grandes conflitos com teatro na Ásia) .

Não precisamos de uma terceira grande guerra pelos mesmos velhos motivos… e pior, agora que tem armas nucleares para todos os lados.

Na verdade o ocidente ( e tudo que está imbricado nisso, como o eurocentrismo e colonialismo mental) está menos preocupado em “defender a democracia” e o equilíbrio da paz mundial, do que em impor suas “supremacias e lógicas”. Pelo contrário, flertam nova e perigosamente com algo que no fim será muito ruim para todos, inclusive quem não tem nada a ver com União Européia e satélites úteis…, e desta vez com consequências distópicas.

Toda guerra é um monumento à estupidez, mesmo que os motivos apresentados por todos os lados estejam dependendo da perspectiva dos observadores “recheados de razão” e ao mesmo tempo de irracionalidade e falsidades.

Vale a pena lembrar que conflitos envolvem guerra de informações e desinformações, para atender objetivos práticos. No passado vários contaram com FALSAS BANDEIRAS (“ataques inimigos” farsescos inclusive com vítimas fatais, para forjar narrativas e “justificativas”). Então, independente de tendência ideológica e visão de mundo (que define o lado, ou não lado, que se está em todo esse imbróglio) é importante saber que nem tudo em um conflito é de fato o que parece ou se quer fazer parecer em primeiro momento… e isso é histórico, portanto requer sempre desconfiança e frieza nas análises, pois o tempo sempre mostra quem enganou e quem foi enganado.

Sem deixar a empatia humanitária de lado, mas nessas horas é que refletindo se entende o velho ditado “Eles que são ‘europeus’ que se entendam, deixem a gente fora disso…” .

Recomendada a leitura:
https://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/bbc/2022/02/22/bandeira-false-false-flag-usos-na-historia.amp.htm#aoh=16499940204566&referrer=https%3A%2F%2Fwww.google.com&amp_tf=Fonte%3A%20%251%24s

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.