26 de novembro de 2021

Faz tempo que isso ocorre. Eventualmente, ao revisitar antigos textos meus, me dá angústia e acabo repontuando tudo. O motivo é que até meados de 2015 eu simplesmente não tinha percebido que escrevia mais ou menos como falava, ou seja, em grandes blocos de pensamento concatenado, sem parágrafos intermediários. O “parágrafo” para mim era todo o “grande bloco lógico”…, que podia ultrapassar fácil as 14 linhas, quando muito usava ponto e vírgula quando entendia que havia uma pequena quebra de fluxo dentro do “blocão”.

Não sei se muita gente percebia e “relevava”, pois sempre me foi dito que eu “escrevia bem”, ou se igual a mim, muita gente lia “de carreirinha” em “blocões”, não fazendo muita diferença a divisão do bloco de texto em parágrafos “mais contidos”. Isso foi até a minha qualificação do mestrado, quando um dos membros da banca, não sei se incumbido pelos demais, o Prof. Júlio Claudio, hoje um bom amigo, com muita elegância, inclusive me comparando à grande escritor que “estilosamente” também abusava de “super parágrafos”, me alertou sobre o problema.

E ai entra uma outra figura de suma importância, o Prof. Odenildo Sena, emérito da UFAM e autor do livro abaixo, ao qual recorri:

O livro tem 4 capítulos, 3 deles dedicados ao parágrafo…, ou seja, fica claro que a boa escrita passa pela sua compreensão e boa utilização. O que não atrapalha em nada o “estilo” peculiar de cada escritor, mas facilita a vida do leitor, e muito… .

O que posso dizer é que é nítida a diferença entre meus textos antigos e os atuais. Se ainda conservo alguns vícios estruturais e ortográficos e dou algum trabalho para revisores, ao menos para os que lêem meus textos “crus”, como esse, a coisa parece ter melhorado.

Interessante é que a nova versão do WordPress, essa que estou utilizando, incluiu a “escrita em blocos”, pela qual se faz a escrita em blocos de ideias, o que seria o “grande parágrafo”, que se encerra com um “enter”. O bloco pode ser mudado integralmente de posição no texto, subindo ou baixando. Isso também ajuda bastante.

Grato aos mestres pelas dicas. E lembrem-se caros leitores que também escrevem, atenção aos parágrafos…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *