6 de dezembro de 2021

“DOUTOR É QUEM FAZ DOUTORADO”… (será mesmo?)

Vejo problema ai nessa frase aspeada no título, independente de quem defende velho decreto imperial como “justificativa” em relação aos Advogados, etc… . O uso do “doutor” como tratamento vai muito além dessa simplificação equivocada.

A tradição portuguesa (a qual querendo ou não somos filiados), e coisa mais observável na antiga metrópole e nas suas ex-colônias mais recentemente independentes, trata assim todo egresso de curso superior que tenha defendido “tese” (e eles utilizam esse termo para todo TCC defendido perante banca), logo, são “socialmente” tratados por dr. (com minúsculas) todos que tenham passado por esse rito.

Lembrando que nessa tradição o bacharelado é a “formação curta”, não exige defesa alguma e antecede a LICENCIATURA, essa sim que se dá pela defesa de “tese” e encaminha ao magistério.

Pelo mesmo raciocínio os Advogados, Promotores e Magistrados são “doutores” por elaborarem e defenderem “teses” no exercício cotidiano da Justiça, por tal é que o simples bacharel em Direito não costuma ter tratamento profissional de “doutor” (embora possa ter o social). Tem também o tal decreto imperial, que reforça o tratamento para os que defenderam TCC e os admitidos como advogados após exame de ordem.

Já na tradição espanhola o uso corrente social para juristas ao invés de dr. é o de licenciado.

Outro ponto é que NÃO SE PODE CONFUNDIR o doutor (do tratamento social, do reconhecimento ou honra) com o Professor Doutor…, o segundo sim é um TRATAMENTO alusivo à TÍTULO obtido via curso de doutorado e defesa de tese doutoral. Bom lembrar também que pode ser concedida a equivalência plena ao titulados doutores aos não doutorados em curso, por meio de reconhecimento e certificado de NOTÓRIO SABER, ou para efeito meramente honorífico por meio do título de Doutor Honoris Causa.

Portanto a coisa não é tão simples como “Doutor é quem faz doutorado”, até porque ninguém se preocupa ou deixa de tratar um médico meramente graduado ou especialista por “Dr.”, pois há uma tradição que é respeitada…, por outro, lado não se deixa de tratar alguém por doutor por não ser médico… .

Tem ainda a questão etimológica que remete mais à conhecimento e capacidade docente, mas outros sentidos são admitidos em dicionário, vide:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *