1 de dezembro de 2021

Thogun é rapper e ator, e está sendo acusado de estupro por uma camareira da produção da mesma minisérie global na qual ele estava atuando, até ser afastado preventivamente por conta da questão. Não conheço o ator, que nega o estupro e afirma ter havido uma relação consensual, mas conheço o seu Advogado, Humberto Adami (por isso a fotomontagem em que aparecemos juntos)

Eis ai o ponto em que ancoro a postagem. Não é a primeira vez que um homem negro, famoso ou não, é acusado de estupro, e cabe lembrar que em todos esses casos o fator racial foi importante variável não apenas na formação da opinião pública, como nos desdobramentos policiais e judiciais. E o nosso caro Dr. Adami não por acaso é o titular do IARA-Instituto de Advocacia Racial e Ambiental, especializado em causas que envolvam as questões constantes do próprio nome do instituto, e conhecido pela atuação em muitos casos famosos e emblemáticos.

Ao contrário dos que acorreram para nas redes sociais fazer “defesa prévia” ou “inocentar” o jornalista Willian Waack, afastado da mesma Globo, após vazamento de comentário racista, aqui não tem pacto narcísico nenhum, nem racial nem machista.

Apesar da História estar repleta de casos em que não apenas a culpa não se demonstrou, como onde houve erros judiciários tremendos posteriormente demonstrados, vamos aguardar o resultado das investigações e se for o caso julgamento. O que se pretende marcar é que o Advogado é bom, e tem histórico em boas causas… .

0 thoughts on “O caso Thogun Teixeira

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *