6 de dezembro de 2021

No começo, tudo era acústico, e Kraftwerk disse: “faça-se a eletro music !”; e a eletro se fez…

Para a moçada  de hoje, nascida as portas do século 21, “Eletro é tudo !” ,  é o “moderníssimo” som totalmente eletrônico com marcação “bate-estaca”  com altas mixagens e remixagens que embala as “Raves” e as “viagens”  (para “fora do corpo” ou será para “dentro da mente” ? , sei lá …), porém  o que a maioria não sabe (e nem sequer  desconfia) é que isso não é coisa nova nem “exclusividade” de sua geração… (os “coroas” também curtiram eletro…), em meados da década de 70 do século já passado, uma “banda” alemã (ou seria melhor dizer grupo ?)  fazia muito sucesso utilizando sintetizadores, com um visual meio “android” e “futurista”; era o KRAFTWERK ; no começo da década de 80 já não eram mais os únicos, mas pelos meus parcos registros de memória foram eles “os pais” (pelo menos os mais difundidos) do que chamamos hoje de eletro music,  “viajar” no som do Kraftwerk era um lance  tão “pós-psicodélico”  e fácil que dispensava qualquer “ajuda química” … , aliás quem já curtiu Mozart  entende bem do que estou falando, mais do mesmo…

Meu disco favorito foi obviamente o Man Machine  (1978 ? ) que tinha como carro-chefe a  faixa  DAS MODELLS (versão em alemão)  THE MODEL ( na versão em inglês) , apesar de não enteder “Scheiße”” 🙂 de alemão, a versão  alemã sempre me soou bem melhor …(e não pergunte por quê ? ), video na sequência :

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=CoSTyWfNspE]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *