1 de dezembro de 2021

‘Ele foi agredido porque era negro’

Comecinho de ano tumultuado…, após um post falando sobre uma boa notícia nas relações étnico-raciais brasileiras (Ação afirmativa da UFBA  formando primeiros estudantes de Medicina ) já ia tentar mudar de assunto, mas como estou dizendo a alguns posts não dá nem tempo…, mais uma e “para variar” bem negativa (ô joguinho difícil esse contra o racismo)  :

Carta Capital

Sociedade

 

Clara Roman

PM agride estudante

09.01.2012 17:11

‘Ele foi agredido porque era negro’

Um estudante da Universidade de São Paulo foi agredido por um Policial Militar sem identificação, segundo testemunhas que gravaram um vídeo que circula na internet nesta segunda-feira 9. O vídeo foi gravado no espaço de vivência do Diretório Central dos Estudantes (DCE), fechado para reformas desde 2005 e utilizado por alunos.

Momento em que policial agride estudante. Foto: reprodução de vídeo/YouTube

No vídeo, o policial, depois de arrastar o estudante pelo espaço, aponta a arma para ele. Segundo depoimento de estudante, a Guarda Universitária chegou para lacrar o local. Os alunos que estavam no espaço questionaram a Guarda. Pouco depois, dois membros da Polícia Militar chegaram ao local para lacrá-lo. Alunos realizaram e tentaram negociar com um sargento sem identificação. Eles divergiram sobre a necessidade de se fechar o espaço. A conversa parecia pacífica até que um rapaz negro resolveu entrar na discussão. No vídeo, não é possível ouvir o que ele disse, mas a reação do policial é clara. O vídeo mostra o PM questionado se o rapaz era, de fato, estudante da universidade. A abordagem foi feita a tapas, que podem ser ouvidos na gravação. O estudante foi identificado como Nicolas Menezes  Barreto, aluno do curso de Ciências da Natureza, da Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH).

“O policial agarrou pelo colarinho do garoto, o arrastou e quando viu que ele tinha carteirinha, saiu de perto, nervoso, e começou a falar no celular”, diz uma estudante que presenciou o episódio. Ela pediu para não ser identificada. “Foi claro que ele foi agredido porque era negro”, diz. “A atitude é absurda, mesmo se ele não fosse estudante da USP”.

Veja matéria na Íntegra em: http://www.cartacapital.com.br/sociedade/ele-foi-agredido-porque-era-negro/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *