26 de novembro de 2021

Terremoto no Haiti fez cair prédios lá e máscaras aqui…

Fotomontagem blogdojuarez:   Arnaldo Jabor; o Cônsul do Haiti e a tragédia haitiana

Não bastasse a tragédia que atingiu o  Haiti, assistimos agora na TV  brazuca uma nova onda de abalos, dessa feita não sísmicos, mas sim de falas estúpidas, preconceituosas e racistas …  .

O conhecido comentarista Arnaldo Jabor  e o até então desconhecido Cônsul Honorário do Haiti em São Paulo, o brasileiro George Samuel Antoine, protagonizaram duas cenas que com certeza demonstram o "modus-pensandi" preconceituoso e racista não apenas da elite brazuca, mas de muita gente que nunca parou para pensar no seu próprio racismo introjetado.

Bem próximo ao final de seu comentário no Jornal da Globo de quarta-feira(13), Jabor soltou a seguinte pérola : " Como democratizar um país miserável analfabeto com raízes tribais africanas bárbaras ? " 

Jabor falou com todas as letras que "o problema" do país é a origem majoritariamente africana do povo, além de "classificá-la" de bárbara (não civilizada), saibam que no séc. XIX o Conde de Gobineau, que foi "embaixador" da França no Brasil imperial (era amigo e "conselheiro" de D. Pedro II), disse praticamente a  mesma coisa do Brasil…, detalhe, Gobineau foi o "pai da EUGENIA" (filosofia que pregava a necessidade de  "pureza racial" e eliminação dos não-brancos), ele foi a base para toda a "loucura ariana" cometida pelos nazistas … .
 
Já o inacreditável Cônsul Honorário do Haiti soltou  em entrevista ao SBT no dia 14 (sem perceber que estava sendo gravado) as duas  seguintes "pérolas"  sobre a tragédia : 
 
"A desgraça de lá está sendo uma boa pra gente aqui, fica conhecido"
 
"Acho que é de tanto mexer com macumba, não sei o que é aquilo… O africano em si tem maldição. Todo lugar que tem africano lá tá f…"
 
O Cônsul, já ocupou N cargos de prestígio junto à representatividade da comunidade Libanesa no Brasil, foi presidente da Associação Nacional dos Cônsules, tem uma série de condecorações incluindo a "Medalha do Pacificador" (a mais alta condecoração do Exército brasileiro), fica a pergunta, como alguém "assim" conseguiu tudo isso ???? .
 
Enquanto isso…, tem gente lendo e concordando com "Não somos Racistas" de Ali Kamel e "Uma gota de Sangue" de Demétrio Magnoli… , mas o terremoto do Haiti mais que derrubar prédios por lá, tem feito cair máscaras por aqui…
 
Links para os vídeos : 
 
 

0 thoughts on “Terremoto no Haiti fez cair prédios lá e máscaras aqui…

  1. Agora já começou a circular na web uma nota do Consulado do Haiti em SP, em que ele  "pede desculpas"  alegando que foi mal interpretado devido a sua "dificuldade com o Português"   e que não criticou as religiões de origem africanas, "sacando "  um bisavõ negro que foi presidente do Haiti no séc. XIX , para  negar intenção racista na sua fala.
    O problema é que são três frases  distintas muito claras… em excelente português,   duas com teor  preconceituoso, uma em relação a religião  e outra com relação a "maldição do africanos"  se complementam perfeitamente  na formação de uma imagem preconceituosa e depreciativa sobre a origem e  crenças majoriatriamente  africanas dos haitianos.
    No comunicado para justificar a falta de prática com a língua portuguesa  é lembrado que o Cônsul nasceu em Porto Príncipe  e mora no Brasil  a "apenas" 35 anos… , engraçado é que  antes de publicar o post , no qual afirmo ser o Cônsul um brasileiro, só para confirmar  busquei por informações sobre ele na web  e encontrei um contrato publicado em diário oficial com a seguinte qualificação :  
    " A composicao societaria sera constituida pelos seguintes acionista.s: 1.George Samuel Antoine, brasileiro, casado, empresario, portador da cedula de identidade RO nr. 4.792.008-SSP/SP e inscrito no CPF/MF sob mi. 025.628.638/87,residente e domiciliado na Av. Julio Mesquita nr. 930, apto. 117, Campinas/SP "  
    E agora ? é brasileiro ou haitiano ?, tem dupla nacionalidade ?  pode ser… ,  para mim o Português dele é muito bom (igual ao de nativo) e com o sotaque característico de paulistanos de origem árabe ou italiana, aliás o jeito de falar lembra muito Paulo Maluf…, essa para mim não colou…

  2. Agora já começou a circular na web uma nota do Consulado do Haiti em SP, em que ele  "pede desculpas"  alegando que foi mal interpretado devido a sua "dificuldade com o Português"   e que não criticou as religiões de origem africanas, "sacando "  um bisavõ negro que foi presidente do Haiti no séc. XIX , para  negar intenção racista na sua fala.
    O problema é que são três frases  distintas muito claras… em excelente português,   duas com teor  preconceituoso, uma em relação a religião  e outra com relação a "maldição do africanos"  se complementam perfeitamente  na formação de uma imagem preconceituosa e depreciativa sobre a origem e  crenças majoriatriamente  africanas dos haitianos.
    No comunicado para justificar a falta de prática com a língua portuguesa  é lembrado que o Cônsul nasceu em Porto Príncipe  e mora no Brasil  a "apenas" 35 anos… , engraçado é que  antes de publicar o post , no qual afirmo ser o Cônsul um brasileiro, só para confirmar  busquei por informações sobre ele na web  e encontrei um contrato publicado em diário oficial com a seguinte qualificação :  
    " A composicao societaria sera constituida pelos seguintes acionista.s: 1.George Samuel Antoine, brasileiro, casado, empresario, portador da cedula de identidade RO nr. 4.792.008-SSP/SP e inscrito no CPF/MF sob mi. 025.628.638/87,residente e domiciliado na Av. Julio Mesquita nr. 930, apto. 117, Campinas/SP "  
    E agora ? é brasileiro ou haitiano ?, tem dupla nacionalidade ?  pode ser… ,  para mim o Português dele é muito bom (igual ao de nativo) e com o sotaque característico de paulistanos de origem árabe ou italiana, aliás o jeito de falar lembra muito Paulo Maluf…, essa para mim não colou…

  3. Caro Juarez:
    estou retribuindo a visita. Obrigado pelo comentário deixado em meu blog. Também gostei muito do que vi por aqui. Apareça sempre por lá e nos mande notícias da Amazônia.
    Quanto aos racistas abjetos, quero crer que eles estejam, cada vez mais, perdendo a voz e os espaços onde sempre atuaram confortavelmente. Ainda são muitos, é claro, mas estamos muito mais vigilantes. Pau na canalha!
    Em tempo: este George Samuel Antoine morava, ou mora, na minha cidade – Campinas. Pelo endereço que você levantou, na parte nobre da região central. Se ele for brasileiro, certamente é naturalizado, pois tenho informações de que nasceu em Porto Príncipe. Agora, acho estranho que alguém que tenha trocado de nacionalidade possa representar o consulado de seu país. No mínimo, estranho.
    Grande abraço!

  4. Caro Juarez:
    estou retribuindo a visita. Obrigado pelo comentário deixado em meu blog. Também gostei muito do que vi por aqui. Apareça sempre por lá e nos mande notícias da Amazônia.
    Quanto aos racistas abjetos, quero crer que eles estejam, cada vez mais, perdendo a voz e os espaços onde sempre atuaram confortavelmente. Ainda são muitos, é claro, mas estamos muito mais vigilantes. Pau na canalha!
    Em tempo: este George Samuel Antoine morava, ou mora, na minha cidade – Campinas. Pelo endereço que você levantou, na parte nobre da região central. Se ele for brasileiro, certamente é naturalizado, pois tenho informações de que nasceu em Porto Príncipe. Agora, acho estranho que alguém que tenha trocado de nacionalidade possa representar o consulado de seu país. No mínimo, estranho.
    Grande abraço!

  5. Grato Bruno, vou colocar você no meu blogroll, quanto a questão da nacionalidade de Cônsul, diferente das embaixadas o consulado pode ser honorário, quando não se tem em uma cidade um consulado padrão com representante do corpo diplomático efetivo do país, pode-se criar um Consulado honorário em que o Cônsul não necessariamente seja natural do pais representado, pode ser um estrangeiro conhecedor e com grandes vínculos com o país.

  6. Grato Bruno, vou colocar você no meu blogroll, quanto a questão da nacionalidade de Cônsul, diferente das embaixadas o consulado pode ser honorário, quando não se tem em uma cidade um consulado padrão com representante do corpo diplomático efetivo do país, pode-se criar um Consulado honorário em que o Cônsul não necessariamente seja natural do pais representado, pode ser um estrangeiro conhecedor e com grandes vínculos com o país.

  7. Juarez fico admirada com o tamanho imaginavél do seu conhecimento, sabe tudo desse infeliz  cônsul do Haiti, felizmente resistiremos , pois mais sofreram nossos  ancestrais que plantaram uma arvore de resistência  dentro de nós afrodescentes. A batalha é ardua, mas da vitoria vamos colher os frutos.

    1. Obrigado Jucélia, valeu pelos comentários e volte sempre, quanto a questão do “conhecimento”… hoje em dia com a INTERNET desde que haja interesse e se saiba como fazer uma boa pesquisa nas máquinas de busca, selecionando o que presta ou não para o objetivo… é “fácil” (rsrsrs) , afroamplexos !

  8. Juarez fico admirada com o tamanho imaginavél do seu conhecimento, sabe tudo desse infeliz  cônsul do Haiti, felizmente resistiremos , pois mais sofreram nossos  ancestrais que plantaram uma arvore de resistência  dentro de nós afrodescentes. A batalha é ardua, mas da vitoria vamos colher os frutos.

    1. Obrigado Jucélia, valeu pelos comentários e volte sempre, quanto a questão do “conhecimento”… hoje em dia com a INTERNET desde que haja interesse e se saiba como fazer uma boa pesquisa nas máquinas de busca, selecionando o que presta ou não para o objetivo… é “fácil” (rsrsrs) , afroamplexos !

  9. Infeliz do povo que tem como representante homens como esse. Está explicada – ao contrário do que pretende Jabour – a dificuldade que tem o Haiti para entrar nos trilhos do desenvolvimento…

  10. Infeliz do povo que tem como representante homens como esse. Está explicada – ao contrário do que pretende Jabour – a dificuldade que tem o Haiti para entrar nos trilhos do desenvolvimento…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *